As vezes que eu amei a Beyoncé

20 junho 2016
 
Oi, oi, tudo bom? Tudo bem?

Sei que vocês devem estar achando um pouco estranho o titulo desse post, mas vou explicar o porquê para vocês no decorrer dele ta? Primeiro não deixei de ama-la, de adora-la e de acima de tudo admira-la, é um pouco estranho falar que eu a amei, pois parece que foi algo que terminou, mas muito pelo contrario, é algo que continua e permanece.

Amei, por que ela me ajudou a mudar, a ver quem eu realmente era com suas musicas, clipes e shows, me mostrou que eu poderia ser quem eu queria ser, por mais que ela pareça uma barbie de tão linda e moldada, que realmente não parece que ela nasceu assim, claro que não, mas com o tempo ela foi se montando assim.

Mas assim, não estou dizendo isso pelos últimos acontecimentos de Formation, Lemonade e sua luta pelos negros, mas falo isso desde que eu a conheci. Quando me apresentaram a Beyoncé, eu simplesmente me apaixonei tanto pela voz, quando pela pessoa e pude ver que ela é bem mais que uma simples mulher que faz sucesso com sua voz, ela é uma incrível mulher que luta por direitos e que através da musica ela consegue passar isso para todos os outros, consegue mostrar para nós o que nós não estávamos enxergando.

Foto por Elite Daily

Acredito que Formation nada mais é do que uma luta da qual o mundo não estava enxergando e ela viu a necessidade de mostrar isso a todos, por isso que faz tanta “polemica” e incomoda muitos, pois quem hoje em dia tem ligado para a luta alheia a não ser a sua? Não digo que uma luta é melhor que a outra, ou que uma dor é pior que a outra, mas que todos nós devemos lutar por tudo e foi isso que ela me mostrou, não só com a causa negra, mas lutar por todas as causas importantes.

Amei, por que através da musica dela eu pude me enxergar e ver que eu não estava sendo eu, que eu queria ser alguém que eu não poderia ser, que eu estava me transformando em um personagem da qual chegaria uma hora que eu não conseguiria mais sustentar isso e acabaria com algo que não me faria bem. Houve muitos fatores que contribuíram para isso, mas ela me ajudou a ser quem eu sou, como assim? Ouçam ou vejam Pretty Hurts, ali as mulheres são obrigadas a ser o que não são por simples padrão de beleza e acho que isso não se encaixa a mim e acho que nem a ninguém.

Foto por Chris Hanna

É uma musica que relativamente mostra como é ser uma modelo ou miss alguma coisa, não que não seja maravilhoso ser, mas tem seus prós e contras e acho que esse é um dos contras, que se você não esta dentro de um padrão que seja o adequado, você ira ter que fazer trocentos procedimentos para que fique de acordo com o que eles querem, essa foi a mensagem que eu pude entender e foi isso que me fez ver que eu estava entrando em um padrão do qual eu não aguentaria ser.

Ah Marry, então você esta querendo dizer pra eu não me cuidar? Não e muito pelo contrario, se cuidar é primordial, mas você não tem que mudar por que alguém quer ou por que a sociedade quer, entende? Você é bonita do jeito que você é, seja alta ou baixa, magra ou gorda, negra ou branca, seja com maquiagem ou de cara lavada, você é bonita do jeito que você é!

Foto por ET Online

Foto por VF Culture

Eu poderia escrever um puta texto aqui, mas vocês cansariam de ler, então deixo aqui as vezes em que eu amei a Queen B pelo o que ela fez e pelo o que ela faz, além de ter um incrível estilo né, por que uma hora ela esta glamorosa e outra hora ela esta swag rs. Ah como eu amo essa mulher. É isso pessoal, eu espero que vocês tenham gostado, que ajudem vocês de alguma forma e que vocês passem a ver as coisas com outros olhos e buscar uma mensagem boa em cada coisa, um mega beijo e até a próxima.

0 comentários:

Postar um comentário